domingo, 16 de setembro de 2012

Recuar não é nenhum drama

Recuar na questão da TSU não é nenhuma tragédia política. Aliás, tanto quanto possível, Pedro Passos Coelho até pode sair por cima de tudo isto. Para isso tem de dizer aos portugueses que não foi insensível ao que se passou nos últimos dias e que, preferindo outra solução, em nome de um bem superior e de um consenso mínimo nacional, de forma humilde e democrática, optou por aceitar trilhar outro caminho. Caminho esse que previamente assegurara ter um base de apoio político minimamente consistente. O PS reclamaria por certo uma vitória estrondosa (na verdade seria péssimo para o PS), mas aposto que ao mesmo tempo não faltariam elogios, merecidos, ao pragmatismo de Passos Coelho. Ainda vai a tempo, se prevalecer o bom senso.