sábado, 5 de janeiro de 2013

Momento Monty Python

"A mensagem de ano novo (...) revela um Presidente da República cada vez mais afastado do primeiro-ministro – e cada vez mais próximo de António José Seguro e de Paulo Portas", escreve Luís Rosa, director-adjunto do jornal i.
Eu até iria mais longe do que Luís Claro. Perante tanta 'proximidade', se houvesse eleições legislativas nos próximos dias, arriscava dizer que Cavaco Silva era capaz de participar na campanha eleitoral do PS, lado a lado com Pedro Silva Pereira. Aliás, estar mais próximo de Seguro ou de Portas é exactamente a mesma coisa. Uma autêntica quadratura do círculo, esta análise de Luís Claro.