sexta-feira, 5 de julho de 2013

Sobre a incontestabilidade

É tão incontestável que sentiu a necessidade de adiar o congresso. É tão incontestável que Pires de Lima tem de reafirmar a sua incontestabilidade. É tão incontestável que começam a surgir concorrentes na linha de partida, como Nuno Melo.
Reparo, entretanto, que Pires de Lima, o analista político, nada teve a dizer de significativo sobre a garotice de Paulo Portas. A título pessoal, claro. Enfim, apenas se lhe pedia um pouquinho de frontalidade e de independência. Lobo Xavier explica-lhe o que quero dizer, caso seja necessário.