sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Zon Optimus: a face escondida das sinergias

Muito se tem dito e escrito sobre o decisão de encerrar os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), o que implicará o despedimento dos 609 trabalhadores. Arménio Carlos, como sempre acontece quando estão em causa empresas públicas, está na linha da frente da 'luta' pela manutenção desses postos de trabalho.
Curiosamente, a notícia que li de seguida foi sobre o facto de a Zon Optimus já ter definido o seu plano de negócio e as principais linhas estratégicas. O que é que isto tem que ver com os ENVC?
Nada e tudo. Como referi no outro dia, "a mesma comunicação social que manifesta uma dureza sem igual em relação às falhas dos governos revela uma estrutural candura na apreciação das notícias oriundas das empresas do PSI-20". O leitor já reparou que poucas ou nenhumas notícias foram publicadas na comunicação social sobre o que a fusão da Zon Optimus tem implicado -- no âmbito das famosas sinergias -- em termos de postos de trabalho? Quantas pessoas, desde o início do processo e até à sua conclusão, já perderam ou vão perder o seu posto de trabalho? Vai uma aposta que estaremos a falar de muitas mais do que no caso dos ENVC?
Curiosamente nada disto parece interessar à comunicação social, ou a Arménio Carlos. São os invisíveis.