terça-feira, 28 de agosto de 2012

De excepção em excepção até à derrota final?

Manda o bom senso político que, a ser verdade, situações como esta não deveriam acontecer. Inevitavelmente, por mais legítimas que sejam, as excepções criam sempre um sentimento difuso de injustiça e minam não só a relação de confiança como também a própria credibilidade do Governo. Nas actuais circunstâncias, ainda pior. Julgo que isto não é muito difícil de entender, pois não?

[Adenda]
Como se sabe, com José Sócrates nunca houve regimes de excepção. Se José Junqueiro estivesse calado não se perdia nada.